Ficou fácil viajar com crianças!

Ilhas Maldivas com crianças: o Paraíso! Dicas da Mariana (8 anos), da Lara (5 anos) e dos seus pais.

Para começar as postagens de 2013 com o pé direito, nada melhor do que um destino de sonhos: Maldivas! Certo, não é logo ali, mas uma grande parte da viagem é sonhar e sonhar…até transformar aquela distância em realidade, quem sabe?!
Márcia de Mitri é uma querida amiga jornalista de longa data, casada com um surfista fissurado e o casal já foi 4 vezes às Maldivas, sendo 2 COM as crianças! Se como para nós, este destino está em suas listinhas, preparem-se para “babar“!
Marcinha, a primeira palavra do ano é toda sua e que ela traga todo o astral dessa viagem para nosso 2013 e o de nossos leitores! 😉

bVistaAviaoChegada“Essa foi a segunda vez que fomos para as Ilhas Maldivas em família e amamos, porque todos se divertem! Tem surf para o papai, mergulho para a mamãe, praias paradisíacas para as crianças com água morninha, calma e transparente e muito mais!

Outro ponto que convida ao relax total é que não há turismo propriamente dito para se fazer, portanto, não é preciso estudar roteiros, pensar no que e onde vamos comer, checar distâncias entre cidades, alugar carro, nada. Chegando lá, sua única dúvida será: “mmm… vou mergulhar, surfar, ler um livro ou fazer nada?”.

Exatamente por isso sua experiência nas Maldivas vai depender totalmente do hotel que escolher, porque é lá que você ficará o dia inteiro. Esta é a quarta vez que voltamos ao Adaaran Select Hudhuranfushi (mais conhecido por “Lohifushi”, seu nome antigo), em North Male Atoll. O resort não é privado de defeitos, mas tem um custo/benefício excelente por tudo o que oferece naquele paraíso.

Para começar, o ambiente é muito informal. O bar na piscina se torna um ponto de encontro concorrido no final da tarde, o chão do restaurante é de areia e o fato de você ter sempre a mesma mesa e o mesmo garçom favorece a interação com ele e com as pessoas das mesas vizinhas. (Triste é o dia em que, ao ver a mesa delas cheia de flores, voce já pode saber que seus novos amigos estão de partida).

iRestauranteNós adoramos também a ducha a céu aberto que tem dentro dos banheiros (há algo melhor que um banho sob as estrelas? Ok, se preferir, tem também uma ducha interna com banheira) e as mini prainhas na frente dos bangalôs (beach villas). Isso porque o Lohis dividiu a praia com pequenas “passarelas”. Além de facilitar o controle das crianças e a localização do seu quarto lá do mar, dá uma gostosa sensação de praia privada. Ah, e permite ainda referências como: “aqui moram 3 moreias” ou “entre esse e esse dique fica o filhotinho de tubarão” (não se preocupe. Obviamente não precisa provocá-los, mas parece até que os tubarões das Maldivas são vegetarianos, de tão amigáveis!). O hotel oferece também uma piscina com profundidade diversa, uma mesa de ping-pong, uma de sinuca (para maiores de 14 anos), um campo de futebol (digamos, rústico), quadra de tênis, parquinho para as crianças, spa e uma pequena academia. O must: as ondas (esquerdas) perfeitas que tem bem na frente do hotel, a poucos metros da praia. Ali, confortavelmente sentada em um quiosque com sombra, cadeiras e bar, os filhotes podem ficar vendo o papai ou a mamãe pegarem “altas”, como se diz na linguagem do surf. Não dá nem pra acreditar que 20 metros depois, o mar se torna uma piscina. A simpatia e o sorriso dos funcionários é outro ponto forte. (Se quiser retribuir a gentileza, aprenda a dizer “obrigado” no idioma deles: pronuncia-se Xucuría).

cBeachVillasdMiniPrainhasFrenteAsBeachVillash2PlaygroundlDequeOndaFrenteHotelGostamos menos: apesar das várias sugestões já deixadas na recepção, eles continuam não oferecendo opções de comida sem pimenta e sem curry para as crianças. Elas fazem uma festa quando o dia é de cachorro-quente, hambúrguer, entre outras comidas “normais”. Sendo assim, acabam comendo diariamente macarrão sem molho, salada, pão e o peixe grelhado (sem pele que é – adivinhem – apimentada). Algumas instalações carecem de remodelação e a visita de um ou outro ratinho no teto do seu quarto pode comprometer o sono (aconteceu com um vizinho).

O que fazer com as crianças: obviamente, a praia em si com areia branca, fina, água morna (quase sempre a 28ºC) e transparente, com peixes a seus pés já é diversão garantida. Mas se seus pimpolhos já completaram 5 anos ou mais, experimente ensiná-los a fazer snorkeling na piscina, algumas semanas antes da viagem. Esta brincadeira, nas Maldivas, será uma experiência inesquecível! As nossas, mesmo se mantendo na superfície, sem emergir, foram embora conosco e se deliciaram com tartarugas, arraias, cardumes de peixe-espada, conchas (aquelas coloridas e esponjosas que se fecham ao serem tocadas), corais e uma infinidade de vida marinha. Tudo isso a poucos passos da praia. Elas amaram também o pássaro lindo que vivia ali, as pedrinhas coloridas ao redor da piscina e brincar de pegar na mão aqueles bichinhos que vivem na areia, dentro das conchas. Tem de todas as cores e tamanhos. Dependendo da época em que você for (veja “quando ir”) leve na manga alguns filmes, papel, lápis de cor e jogos infantis (o “Uno” faz sucesso e é super portátil) para entretê-las em caso de chuva (geralmente passa rápido, mas vem forte). Tenha em conta que o hotel não oferece kids club. Alugar uma prancha para fazer stand up paddle calmamente, em cima dos corais, com o filho de carona é diversão garantida (à disposição no centro de mergulho). Outra dica: às 21h em ponto, lá no deque onde você desembarcou, eles jogam comida para os tubarões. Um show para crianças de todos os tamanhos!

DCIM100GOPROSnorkeling2ComPassaroDaIlhakTubaroesNoDequeAs21hO que levar: na lojinha do hotel tudo é mais caro e limitado. Leve um bom estoque de protetor solar, repelente, adaptador de tomada internacional, uma lanterna pequena, material de mergulho (com sapatinhos de borracha para os pequenos), livros e revistas (ou um Kindle bem recheado – o tempo rende), carrinho de bebê (se o quarto for longe do restaurante, faz falta) e uma boa máquina fotográfica à prova d´água. Se for mergulhador, lembre-se da carteirinha da PADI. Atenção: visto não é necessário, mas a vacina de febre amarela sim! Você deve tomá-la 10 dias antes de chegar lá. (Pode ser aplicada a partir dos 9 meses de idade e dura 10 anos).

O que não levar: salto alto. Não combina nem com a informalidade do hotel nem com o caminho para chegar até a recepção, restaurante, etc. Uma bela Havaianas customizada pode, seguramente, ser o par perfeito para a sua roupa da noite.

Outras dicas:

– ao fechar o pacote do hotel, tenha em conta que o barato pode sair caro. Comprar o “all-inclusive” é a melhor opção (até as bebidas do bar estão incluídas), ou, ao menos, meia pensão. Também inclua já no preço o transfer (aeroporto de Male-hotel) em speedboat! Em 30 minutos vocês estarão lá.

– o hotel oferece quartos em cima d´água, chamados Ocean Villas. São lindos, mas faço algumas ressalvas: o ambiente é infinitamente mais romântico que infantil, fica mais longe de tudo (restaurante, parquinho, etc) e tem restaurantes exclusivos. Isso significa que você perde aquela deliciosa interatividade com os outros hóspedes durante as refeições. Por outro lado, pode ser uma bela aventura em família para alguns poucos dias (nunca experimentei porque morro de preguiça de trocar de quarto quando estou com as crianças). Já os Beach Villas são os bangalôs que tanto gostamos, na frente das prainhas. Na reserva, você pode tentar pedir o lado que for mais conveniente para você: mais perto do restaurante; ou do outro lado da ilha, que é mais longe (10 a 15 minutos de caminhada, dependendo do quarto), porém com menos vento. Mas atenção: não há garantias de que, ao chegar lá, seu desejo tenha sido atendido!

– na recepção, você pode comprar acessos temporários à internet wi-fi, para ser usada ali mesmo. Mas se for ficar mais de 10 dias, recomendo alugar a internet móvel sem fio (plug) na lojinha ao lado. Pega bem até no quarto e dura bastante.

– você pode fazer a reserva diretamente no hotel, no Booking ou pesquisar o preço do pacote em uma agência especializada. Nossa sugestão é a Surf Travel Company: surftravel.com.br

– o mar é calmíssimo, mas pode ter correnteza. Informe-se.

– sinceramente, não achei que vale a pena a excursão a Male, capital das Maldivas. Fora a bonita mesquita, não há muito o que se ver. Pero… se decidir ir, leve uma canga para cobrir pernas e ombros. A religião oficial na cidade é a muçulmana.

– se você quiser um pouco mais de sofisticação, melhores instalações e um excelente kids club (obviamente, pagando mais por tudo isso), sem abrir mão de um surf “na porta”, uma ótima opção é o Holiday Inn Resort Kandooma, no South Male Atoll: nos foi tão bem recomendado – e por pessoas diferentes – que ficamos com vontade de experimentar.

– o hotel Conrad Maldives Rangali Island tem um restaurante de vidro embaixo d´água, como se fosse um aquário e Kids Club. Uma bela aventura para as crianças.

Quando ir: depende. Se papai ou mamãe surfam, a melhor época é de maio a outubro, sendo o pico de ondas maiores entre junho e setembro (as ondas do hotel podem atingir de 3 a 8 pés e quebram em bancadas de coral não muito rasas. Se quiser, você tem a opção de pegar barcos para surfar em outros points). A desvantagem é que pode chover, mas as tempestades vem e vão com a mesma rapidez, alternando-se com o sol. O snorkeling é diversão garantida o ano todo (e o calor agradável também). Já se o surf não é a sua praia, experimente ir entre dezembro e março.

oBarcosParaSurfarEmOutrosPicosOuParaMergulharQuem leva: nós amamos o vôo com a Emirates, com escala em Dubai (tá aí uma chance ótima de conhecer atrações urbanas supermodernas antes de desembarcar num oásis de relaxamento e simplicidade -ver post-). As meninas estavam encantadas com a quantidade de filmes disponíveis e a qualidade dos presentes: mochila, cadernos de atividades, lápis de cor, cobertorzinho e bichinhos de pelúcia – uau! Se solicitado na reserva, a comida – especial para crianças – chega primeiro. É um vôo longo (de São Paulo, dá mais ou menos 23 horas, contando com a escala), mas a cia. aérea faz de tudo para que ele seja o mais agradável possível!”

aMimosEmiratesMuito obrigada Marcia por este relato tão gostoso! Só aumentou a nossa vontade de conhecer esse paraíso!

E que 2013 seja muito lindo e intenso com muitas viagens para todos!

nNetoEMeninas

Para mais informações:

Sobre Maldivas: visitmaldives.com

Hotéis
$$$$ Adaaran Select Hudhuranfushi:
ver fotos e avaliações*

$$$$ Holiday Inn Resort Kandooma: ver fotos e avaliações

$$$$$ Kurumba Maldives: ver fotos e avaliações

$$$$$ Conrad Maldives Rangali Island: ver fotos e avaliações

Para ver outros hotéis nas Maldivas (com fotos, avaliações e cancelamento grátis)
Agência

Surf Travel: surftravel.com.br

* Somos afiliados Booking e recebemos uma comissão pelas reservas feitas através do Blog. Você não paga nada mais por isso e nos ajuda a manter as melhores dicas!

Também estamos por aqui:

FACEBOOK TWITTER | INSTAGRAM | GRUPO VIAGENS EM FAMÍLIA

9908 Visualizações

Sut-Mie Guibert, Family Travel Blogger, Blogueira especializada em Viagens em Família, com crianças e bebês. Jornalista e mãe de duas meninas de 5 e 2 anos, adora levar as crianças para conhecer o mundo! Mas também gosta de escutar e falar sobre o assunto com outras famílias, que são sempre bem-vindas por aqui!

25 comentários para este artigo

  1. Sensacional, Marcia. E que descoladas serao essas meninas com esses pais surfistas, aventureiros e viajantes.
    As Maldivas estao na minha lista de prioridades, so estou esperando a pequenina ficar um tantico mais velha.
    E eu moro a menos de cinco horas desse paraiso, da pra nao ir, people?
    Beijo Marcia, beijo Sut-Mie!

  2. rafael7camara disse:

    Passar uns dias nas Maldivas é um sonho antigo. Mesmo eu, que não tenho crianças, adorei o post. Deu uma vontade de viajar! =)

  3. Gabi Sallit disse:

    Uau. Amei!
    Sut-Mie, voltamos recentemente de Cuba, onde fomos comemorar o aniversário de um ano do meu filho. Adoraria contar a história aqui no seu blog, te interessa?

  4. Oi, Sut. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Beijos 🙂

    Até mais,
    Natalie – Boia Paulista

  5. Nunca havia pensado nas Maldivas, mas acabou de entrar no Top 5!
    E olha que estou embarcando pra Oceania e Indonésia em poucos dias, e já pensando: “vou demorar de fazer outra viagem longa assim”. Bobinha eu. 🙂
    Obrigada pelo relato!

  6. Mari Campos disse:

    Uma graça de post! Aliás, as meninas são umas fofas tb 😉

  7. Adriana De Gennaro disse:

    Matéria pra lá de especial … eiita que esta jornalista amiga não perdeu a paixão pela escrita … Marcinha, oootimas dicas, como sempre! Parabéns! Xucuría bjim D”)

    • Marcia De Mitri disse:

      Eu é que agradeço a querida Sut-Mie pela oportunidade de dividir com vocês minhas sensações sobre esse lugar tão especial. Beijim Dri!

  8. Karina Gomes (@nina_fego) disse:

    Por coincidencia esse post foi publicado no dia que eu estava embarcando para esse mesmo hotel. Vi no twitter enquanto usava a internet free do CDG, foi um bom incentivo para encarar o voo longo que me aguardava. Eu amei o hotel, os funcionários são muito simpáticos, gracinhas, fora que a ilha é um verdadeiro paraíso. Eu fiquei hospedada nas beach vilas e nas últimas noites mudei para as ocean villas, os famosos bangalôs sobre as águas. Valeu por ter experimentado as duas opções, e ser bastante mimada pelos caprichos dos bangalos, mas eu gostei mais de ficar na beira da praia.O clima mais informal e o acesso direto para a praia me conquistaram. Tinham muitas crianças e bebes lá, o hotel é super kids friendly e os garçons inclusive ficam de babá para os pais poderem almoçar/jantar.

  9. Leonor disse:

    Olha a ignorância da minha pessoa… eu estava lendo “mar quentinho…” e pensando… poxa, isso não é na argentina, lá perto da Antártida? Agora que eu vi que é perto da Índia! Deve ser lindo mesmo, vai entrar para a minha lista de sonhos!

  10. Miriam Lima disse:

    Obrigada pelas dicas…Estamos viajando no carnaval para as Maldivas. Só uma dúvida….O dólar é bem aceito, ou a melhor opção é trocar para o dinheiro local???? Não tenho idéia de preços de refeições ( eu apenas contratei café da manhã) seria interessante estar preparada…
    Beijos e parabéns pelas crianças…..

    • Sut-Mie Guibert disse:

      Olá Miriam,
      Este post das Maldivas foi feito por uma família amiga e não por nós (infelizmente)! 🙂
      Mas vou pedir à Márcia que venha tirar esta dúvida!
      Um abraço

    • Marcia De Mitri disse:

      Miriam, desculpe a demora, eu estava… bem… viajando! (Esta vez para Foz do Iguaçu; mais pertinho :). Olha, nas Maldivas o dólar americano é praticamente a segunda moeda. Os resorts o aceitam na boa, o único problema é que na maioria das vezes eles não oferecem um câmbio muito favorável. Mas sinceramente, eu nem lembro de ter usado dinheiro por ali (a não ser para as caixinhas dos carregadores de mala, faxineiros, etc)! Usei sempre cartao de crédito (Visa e Mastercard são os mais aceitos) e como quase todo mundo, paguei o pacote ainda no Brasil. Quanto às comidas, sempre optei pelas 3 refeições, porque sinceramente, nos meus orçamentos o preço de comer por fora nunca compensou. Infelizmente, não lembro quanto sairia uma refeição à parte para lhe dizer mas ja fiz esse calculo antes e ao menos naquele hotel, não valia a pena. Espero ter ajudado. Um abraço e uma viagem maravilhosa para vocês!

  11. Priscila disse:

    Boa noite, gostaria de saber se eles entendem somente inglês ou tem algum guia em português

  12. renata disse:

    Acabei de tentar reservar o hotel pelo link e não aceitam mais crianças ;(((

Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios