Ficou fácil viajar com crianças!

O Museu do Amanhã com crianças: um programão no Rio de Janeiro

Você quer fazer um passeio, se surpreender e ainda impressionar as crianças? Pois vá ao Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro! Este novo local, que inaugurou em dezembro de 2015, já faz parte dos monumentos ícones à serem visitados. Se no início, ele foi vítima do seu próprio sucesso com filas gigantescas e algumas reclamações gerais, agora, seis meses depois e pequenas adaptações, tudo está bem mais redondo e só esperando pela sua visita!

Veja porque é imperdível com ou sem crianças:

=> A arquitetura do Museu é impressionante! Um monumento gigante concebido pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava e que mudou a paisagem da cidade no novo Porto Maravilha, a renovação da área portuária, e da nova Praça Mauá. O Museu é visível desde a Ponte Rio-Niterói, desde o mar para os cruzeiros de turistas que ancoram por ali e desde os aviões da ponte aérea. É um avião? Um pássaro? Uma nave? Um peixe gigante voador? Um pouco disso tudo e o que mais a sua mente imaginar!

Museu-do-amanha-RioO impacto visual do Museu é muito forte e antes mesmo de entrar, você já terá tirado várias fotos sob diversos ângulos e paisagens. Este é um monumento altamente fotogênico: por fora, por dentro e até em diferentes horários porque as abas laterais tem placas de captação de energia solar e a posição delas muda em função da luz! Tivemos a oportunidade de ver a diferença entre as abas do Museu de tarde, bem abertas em contraste com as abas de noite, no fechamento, quando ficam verticais.

museu-do-amanha-rio-de-janeiromuseu-do-amanha-rio-de-janeiroMuseu-do-amanha-rio-de-janeiro=> A nova Praça Mauá merece a visita e está toda renovada. Após a destruição do elevado que levava à Ponte Rio-Niterói e Av. Brasil, a Praça deu lugar ao Museu de Arte do Rio (MAR), que fica de frente para o Museu do Amanhã. Aliás, há um ingresso promocional para visitar os dois museus no mesmo dia (R$16/adulto e R$8 meia-entrada). A própria Praça virou lugar de passeio: ampla, cheia de bancos e com algumas árvores jovens que ainda não oferecem muita sombra, mas que aos poucos, vão ajudar em dias de sol e calor. Junto com o novo transporte VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), os Museus formam a nova paisagem moderna do Rio de Janeiro. Lembrando também que o próximo grande projeto a inaugurar na área é o Aquário Marinho, o maior da América Latina.

museu-de-arte-do-rio-de-janeiroMuseu-do-amanha-rio-de-janeiro=> O Museu é grande e todo interativo, o que agrada muito às crianças. Elas podem e devem mexer em tudo. A partir de uns 4/5 anos, elas vão mexer nas diversas telas espalhadas pelo museu e mesmo se não entendem tudo o que está explicado e escrito, reagem às imagens e sons. Elas são a geração das telas.
É tudo muito sensorial, tátil e interativo. O Museu mexe com as emoções, com o lugar dos indivíduos na Terra, com o nosso modo de vida moderno e o nosso futuro. Como serão os cidadãos de amanhã? Tudo depende de como vivemos e aprendemos no presente: pessoas mais conectadas, rápidas, mais curiosas e com bastante consciência ambiental (aliás a estrutura do Museu segue regras sustentáveis com painéis solares e aproveitamento das águas).

Logo no início da exposição, a sala Cosmos passa um vídeo em 360 graus que conta a história da humanidade. Famílias com pessoas acima de 60 anos e crianças menores de 5 anos podem passar numa fila prioritária à esquerda da porta. Como as crianças são pequenas, é melhor que fiquem sentadas na primeira fila ou deitadas no chão, em frente aos bancos (há almofadões). Tudo acontece olhando para cima e em volta, então não há problema, todos conseguem ver tudo. O vídeo é bem emocionante e faz uma boa introdução do Museu, do que vamos ver e questionar.

Em seguida, a parte Terra é feita por três grandes cubos de 7 metros, com informações tanto por dentro quanto por fora:
– No primeiro, pelo lado de fora, várias fotos da Terra e, dentro, um balé lindo do que seria o movimento do vento. Hipnotizante!

Museu-do-Amanha-Rio-de-Janeiro– No segundo, o cubo da “Vida”, uma apresentação de vários ecossistemas interligados, com diversos animais bem brasileiros como micos, capivaras, araras…

Museu-do-Amanha-Rio-de-Janeiro– No terceiro, super interessante para os apaixonados por outras culturas: várias torres com fotos que mostram os hábitos de diversos povos e países em relação à assuntos em comum, família, casamentos, enterros, cidades, escolas, etc… Além da curiosidade das fotos, o efeito geral é um labirinto de torres, e assim como a Terra, com uma grande multiplicidade de seres humanos, ao mesmo tempo iguais e diferentes.

Museu-do-Amanha-rio-de-janeiroMuseu-do-Amanha-Rio-de-JaneiroNovamente, mais uma parte impactante com diversas telas gigantes (6m de altura), como se fosse um vulcão. Nós ficamos ao centro ou podemos deitar em grandes puffes e receber essa dose imensa de imagens, informações, perguntas…para saber onde estamos hoje e para onde vamos. O que será o nosso amanhã, os próximos passos? Sabendo que temos que cuidar cada vez melhor da Terra, da reciclagem, da natureza e seus ecossistemas. Essa exposição termina com um questionário: qual a sua pegada ecológica? O quanto você economiza e reutiliza energias?

Museu-do-Amanhã-Rio-de-JaneiroMuseu-do-Amanhã-Rio-de-JaneiroApós essas questões, surge uma estrutura quase uma escultura, muito interessante: Nós, onde a forma arredondada nos reúne. Nós somos o amanhã. Cada um de nós. Individualmente e reunidos.

Museu-do-amanha-rio-de-janeiroEssas sensações e reflexões todas se terminam por uma vista sobre o enorme espelho d’água que dá para a Baía de Guanabara. Uma volta à realidade (vemos o horizonte, a Baía, a Ponte Rio-Niterói, a ilha de Treinamento da Marinha), mas com um toque de futuro com uma escultura brilhante, como uma estrela que brilha sobre a água. Como a estrutura do Museu ultrapassa o prédio, é realmente como se estivéssemos olhando para o presente e o futuro.

Museu-do-Amanha-Rio-de-JaneiroUma exposição geral bem impactante que se percorre mais ou menos em 1h, entre descobertas, fotos, interação com algumas telas…Foi esse o tempo que ficamos e repare que os ingressos também são vendidos on line de hora em hora.

=> As exposições temporárias são igualmente muito interessantes! No momento, a Exposição sobre o Poeta Voador, o Santos Dumont, vai até final de outubro deste ano e é imperdível com crianças! Uma vez mais a exposição está bem interativa e é uma delícia descobrir o Pai da aviação neste contexto. Dentro da sala, várias maquetes do 14Bis voam sobre nossas cabeças. No meio, a evolução das invenções do Santos Dumont, do balão ao dirigível, passando pelo 14Bis até o Demoiselle, considerado o primeiro ultraleve do mundo.

museu-do-amanha-o-poeta-voadorHá uma réplica perfeita dele e dá para ver como o engenho de 56Kg, feito com bambu, seda e rodas de bicicleta parecia frágil.

demoiselle-santos-dumontOlhando para o aparelho, do lado direito há um botão no qual vocês podem apertar e as pessoas são sorteadas aleatoriamente para “voar” nele. Tivemos sorte e fomos sorteados. Na hora, eu pensei que era só aquilo, um sobe e desce, com algumas tremidas para passar a sensação de como deve ter sido interessante (e difícil) voar naquela época em um aparelho tão frágil e que, ainda por cima, tinha o volante na lateral! Mas, depois, em casa, vejam o vídeo que recebemos por email! Muito legal!

A exposição ainda tem um vídeo que conta, bem pedagogicamente, a história de Santos Dumont e uma parte que divertiu bastante as crianças: uma área com vídeos que mostram como fazer vários tipos de aviões de papel e uma pista de aterrissagem para comprovar a aerodinâmica de cada um.

exposicao-o-poeta-voadorEssa exposição temporária, apesar de ser pequena, também tomou mais 1h de visita (mas as duas crianças foram sorteadas para voar no Demoiselle e elas quiseram fazer vários modelos de aviões de papel). 🙂
E ainda tem a área externa onde tirar fotos!
exposicao-o-poeta-voador=> O Museu tem tudo explicado em 3 línguas, português, inglês e espanhol, o que é raro no Brasil. São detalhes mas que são importantes para o turismo e para o museu moderno e atual que é. E ele também é acessível, com rampas, elevadores, banheiros adaptados e fraldário para bebês.

museu-do-amanha-rio-de-janeiro=> Outro ponto que chamou a minha atenção foi a equipe de funcionários jovens: todos muito solícitos, bem formados e motivados. Eles ajudam, explicam e, principalmente, transmitem o orgulho que sentem pelo museu.

=> Há um Café-restaurante orgânico bem agradável, mas para beliscar um sanduíche ou uma salada. Com crianças, não tem nada com mais sustância. 🙂

museu-do-amanha-rio-de-janeiro=> A loja do Museu é bem bonita, cheia de produtos que exaltam o Rio de Janeiro. Ela fica na entrada, o que me surpreendeu, pois geralmente as lojas ficam na saída. É verdade que até às 17h, você pode sair por onde quiser. Mas depois disso, só pela saída que fica do lado oposto à loja.
Destaque para os cartões postais em aquarela, lindos, do meu talentoso amigo Durval Amorim!

museu-dopamanha-rio-de-janeiropostais-aquarela-durval-amorim=> E, por fim, o museu não é caro e tem uma política de preços bem acessível, com gratuidade às terças-feiras e último domingo do mês. Além de ser gratuito para crianças até 5 anos e pessoas acima de 60 e também para estudantes e professores da rede pública. Aliás, vimos muitos grupos de alunos e isso é sempre muito bom!
O Museu ainda oferece meia entrada (R$5) para moradores ou naturais do Rio de Janeiro (trazer comprovante de residência). E, se ainda assim você tem que pagar uma entrada inteira, custa somente R$10. Achei barato para a média de preços praticados na cidade e até em comparação à outros museus fora do país! Um museu desses lá fora com certeza custaria mais caro. Portanto mais um ponto para ele! Compre os seus ingressos on line para evitar fila (principalmente aos finais de semana).

Museu-do-amanha-rio-de-janeiroNa saída, vocês certamente ainda vão passear um pouco em volta dessa estrutura gigante, tirando mais algumas fotos. A paisagem é incansável e a experiência incrível. No total, foi uma visita de 2h30/3h.

 

=> Mas apesar de todos esses elogios, eu ainda tenho uma observação: nós gostamos tanto de tudo mas eu senti falta de uma parte especificamente mais infantil. É verdade que eu vi uma área com cadeiras e mesas mais baixas, com alguns jogos de madeira. Me contaram que é ali que acontecem os ateliês aos sábados. Ainda assim, seria interessante uma área final ou até algumas telas na exposição geral com alguma linguagem mais infantil, desenhos, jogos…afinal as crianças são os cidadãos de amanhã. Idem na lojinha: há alguns bonecos, mas senti falta de todos aqueles jogos científicos, livros sobre como as coisas funcionam ou sobre a evolução da humanidade, kits que ensinam a reciclar, cadernos, objetos que encontramos em outros museus modernos pelo mundo. Acho que ainda dá para desenvolver melhor essa parte infantil.

loja-museu-do-amanha

 

PROGRAMAS PARA FAZER JUNTO COM O MUSEU DO AMANHÃ:
=> Se estiver de carro, você pode estacionar na Rua São Bento, subir até o Mosteiro de São Bento pelo elevador, no final da Rua Dom Gerardo. Este Mosteiro beneditino do século 16 é lindíssimo com o seu interior todo dourado. Aos domingos, às 10h, ainda tem missa em canto gregoriano. Depois dessa visita, vá até o final da Rua Dom Gerardo e, virando à direita na Av. Rio Branco, já está de frente para o Museu do Amanhã. Se for durante a semana, podem almoçar no prédio RB1, que tem diversas opções de restaurantes, desde o Spoletto até o EnotecaUno, premiado e considerado uma das melhores comidas mediterrâneas do Rio. Nós conhecemos o Midori, restaurante a kilo simples mas bem agradável e com buffet japonês. Além dos restaurantes, vale à pena dar uma volta até o último andar no elevador panorâmico que dá de frente para a Praça Mauá e oferece uma vista ampla.

Praca-Maua=> Outra opção de visita é ir diretamente ao Museu de Arte do Rio (MAR), almoçar por lá, no Restaurante Mauá, na cobertura e que tem vista lindíssima para a Baía, Praça e Museu do Amanhã. Lembrando que os dois museus tem um ingresso compartilhado mais barato.

COMO CHEGAR?
=> Com crianças maiores, adolescentes, você pode ir de bicicleta, já que há um ponto BikeRio Itaú logo em frente ao Museu!

bikeRio-museu-do-amanha=> As crianças menores vão adorar conhecer o novo VLT (Veículo Leve sobre Trilhos, tramway moderno), mas que, infelizmente, só funciona durante a semana! Você pode ir de metrô até a Cinelândia, e de lá fazer a baldeação e pegar o VLT. Até setembro, ele é gratuito.
Quem chega pelo Santos Dumont também pode pegar diretamente o VLT.

VLT=> Dê preferência ao transporte público, até porque o trânsito no Centro é sempre complicado, mas se for de carro, pode estacionar na Rua São Bento ou pegar o novo túnel 450 anos, que passa por baixo da Praça Mauá. No final do túnel, pegar à esquerda e seguir as placas para o Museu do Amanhã. Chegando na Praça, vemos o Museu ao fundo e logo no início da Av. Rio Branco, à esquerda, como se fosse entrar para o Museu há um estacionamento Estapar (no prédio RB1). É um estacionamento com manobrista. Não é nada barato, mas é seguro, se você estiver vindo diretamente do Santos Dumont com malas e carro alugado, por exemplo.
=> De taxi, lembre-se que o Uber funciona bem na cidade.

Museu do Amanhã: www.museudoamanha.org.br
Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h.
Entrada R$10 e meia entrada R$5. Compre on line.
Gratuito às terças-feiras e último domingo do mês.
=> Se puder, evite ir aos finais de semana. Fomos durante a semana e a visita foi muito tranquila!
=> Se estiver sol, leve água, boné e protetor. A área externa ainda é bem exposta (pouca sombra) e não há vendedores ambulantes.

2720 Visualizações

Sut-Mie Guibert, Family Travel Blogger, Blogueira especializada em Viagens em Família, com crianças e bebês. Jornalista e mãe de duas meninas de 5 e 2 anos, adora levar as crianças para conhecer o mundo! Mas também gosta de escutar e falar sobre o assunto com outras famílias, que são sempre bem-vindas por aqui!

6 comentários para este artigo

  1. AIX Rizzo disse:

    Vale a pena mesmo, o Centro Histórico do Rio de Janeiro está completamente mudado, pra melhor!

    • Sut-Mie Guibert disse:

      Olá Rizzo,
      E vai ficar cada vez melhor, tomara! Ainda vem aí o Super Aquário! E estou louca para ver as docas restauradas com bons restaurantes como em Puerto Madero! Vamos torcer!
      Bj grande,

  2. Luiz Felipe disse:

    Sobre o acesso ao museu pelo VLT: o funcionamento está sendo nos dias de semana por que ainda está em fase de implantação. Acredito que quando a operação estiver completa, o serviço será de domingo a domingo

    • Sut-Mie Guibert disse:

      Olá Luiz,
      Sim, eu espero que aos poucos o VLT funcione todos os dias. Não faz sentido um transporte desses e uma área bacana como o novo Porto Maravilha não aproveitar dessa modernidade aos finais de semana! Assim como o Bondinho de Santa Teresa que também voltou, mas não roda aos domingos e feriados… Vamos esperar que todas essas coisas tão bacanas e turísticas funcionem logo todos os dias!
      Um abraço,

  3. aurea disse:

    Parabéns pela divulgação detalhada do programa do Museu!Gostaria de apenas acrescentar que ,por ser um local com tantas opções ,deveria abrir mais cedo.Já fui mais de uma vez com meu filho e amigos (faixa etária de 12 anos) e , inevitavelmente por volta de meio dia ,a galerinha já tá pedindo pra comer.Tive este problema,tentei contornar mas confesso que tive que acelerar o passo devido a reclamações de fome!O que oferecem na cafeteria não resolve ..são lanches rápidos.Acho que deveria abrir as 9hs!

    • Sut-Mie Guibert disse:

      Olá Aurea,
      Verdade! Concordo com você: ou abrir mais cedo, ou oferecer mais opções “com sustância” na cafeteria! 🙂 Mas, aparentemente, eu acho que ainda vai ter um restaurante de verdade, além da cafeteria. Vi isso em algum dos croquis, lá mesmo. Seria excelente e bonito, já que o restaurante seria no final do museu, com vista para a Baía. Vamos aguardar as novidades e torcer!
      Um abraço,

Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios