Ficou fácil viajar com crianças!

O que as crianças aprendem ao viajar? Revista Crescer #clippingPimpolhos

 A Revista Crescer deste mês de Julho, traz um Especial Férias” com vários temas, tais que roteiro por Dubai em família, looks para a bagagem, brinquedos para fazer em casa, para quem não viaja e um dos temas que nós mais gostamos por aqui: o que as crianças aprendem ao viajar? 

 

 

REVISTA CRESCER

A jornalista Fernanda Montano entrevistou algumas famílias e levantou 9 coisas que os nossos filhos aprendem quando viajam e vou aproveitar para ilustrar com nossas experiências pessoais:

1.Viram pequenos poliglotas:
Sim! Esta é umas primeiras coisas que as crianças notam! Diferenças de sotaques, de línguas… Viajar também desenvolve muito o gosto (e necessidade) por línguas. As nossas crianças hoje falam 4 línguas (português, francês, inglês e espanhol), o que nos dá a segurança de que conseguem se viram em muitos lugares!
Em Abril, por exemplo, em uma estação de ski na França, as crianças estavam tendo aulas de ski em grupos separados por idades. A melhor amiga de uma das meninas foi uma Sul Africana, que só falava inglês e que estava bem feliz de ter encontrado outras crianças que falavam facilmente a língua dela.
E não só em termos de línguas estrangeiras. Até no Brasil, as crianças aprendem expressões e palavras novas!

Glossário que a filha fez sobre palavras e noções aprendidas na Amazônia

 

2. Imprevistos e frustrações: 
Mala extraviada, dias de chuva na praia, carro quebrado, parque fechado no dia da visita. Viagens são cheias de imprevistos…” (revista Crescer). Sim! Quem nunca passou por algum perrengue de viagem, assim como na vida, certo? Não dá para controlar tudo e as viagens são excelentes oportunidades para ensinar isso: a ficar calmo, otimista, ver o lado bom das coisas, relaxar e resolver…
Em uma semana de férias em Cancun, pegamos 4 dias horrorosos de chuva…a programação teve que virar “indoor”: kids club do resort, shopping, aquário… e pensar que teremos que voltar! 🙂
Na última viagem, perdemos 2 voos seguidos (CDG em Paris…enoooorme). As crianças já estavam entrando em pânico, achando que aquilo era o fim do mundo. Mas aproveitamos para ensinar-lhes que temos que ficar calmos; que tudo se resolve. Ainda bem se tratava de um voo Paris-Amsterdã e há vários por dia, que nem ponte aérea, o que resolveu o problema: pegamos o seguinte, 40mn depois.

 

3. Incentivo à autonomia:
Ao criar o hábito de viajar, as crianças aprendem a se virar sozinhas em diversas situações. A blogueira de viagens Sut-Mie Guibert, 45 anos, do Viajando com Pimpolhos, vê isso claramente em suas filhas, Clara, 11, e Nina, 8. Com diversos destinos na coleção, as meninas já tiram de letra os trâmites todos de aeroporto, como raio X, passaporte, entrada no avião. “Elas também carregam suas próprias mochilas com o que querem levar, como livros, tablet e canetas coloridas. As crianças são esponjas que aprendem tudo, depende apenas da maneira de apresentar as coisas. Em viagens, vão absorvendo e armazenando tudo, e isso forma um novo cidadão para o mundo”, diz” (Revista Crescer, Julho 2019)

 

4. Viver coisas novas: 
Ao sair da rotina, parece que ficamos mais abertos a tentar novas experiências” (revista Crescer). Sim, viajar tem muito disso! Tudo é novo: região, cultura, língua, comida, religião… A blogueira Shirley Hilgert (do Macetes de Mãe) lembra o pediatra de seus filhos que confirmou que “as viagens são grandes estímulos para as crianças, e elas acabam tendo até saltos de desenvolvimento“. Efetivamente, também me lembrei de pais de crianças autistas que me contaram que em viagens, as crianças fazem grandes avanços.
Sair da rotina e viver coisas novas só traz benefícios: aprendemos, memorizamos melhor…

Passeio de bicicleta pelas vinícolas de Cape Town

 

5. Quantas diferenças:
Nada como aprender na prática a dimensão do mundo: a variedade de climas, ambientes, crenças, pessoas. Ver as diferenças na “vida real”, seja um povo do outro lado do mundo, seja na vida rural na casa doas avós” (revista Crescer).
Essa é uma das partes que nós achamos mais importante: é muito interessante ver como as crianças aprendem diferentes hábitos e culturas. É dessa raiz que nascem pessoas mais abertas, que aceitam a diversidade do mundo.
Quando a criança reparou que no Peru as crianças eram carregadas nas costas, ela pediu para o guia amarrar a sua boneca da mesma forma.

 

6. Família 24 horas
“É uma convivência íntima, intensa, brincante, leve. Os impactos desse estreitamento dos laços afetivos no desenvolvimento das crianças são enormes, e isso vai refletir inclusive no seu desempenho escolar e no seu futuro” explica o pediatra Daniel Becker (revista Crescer).
Esse é outro enorme benefício das viagens em família e um dos grandes propósitos da agência Viajar com Crianças, a nossa parceira oficial: estreitar os laços familiares e com roteiros e experiências diferenciados.

Jogos feitos em família na Amazônia e elaborados pela equipe pedagógica da agência Viajar com Crianças

 

7. Noção sobre dinheiro
“Uma pesquisa da Universidade do Arizona, nos EUA, mostrou que experiências em que os pais permitem que as crianças lidem com o dinheiro na vida real são fundamentais para a saúde financeira delas quando forem adultas” (revista Crescer).
Lá em casa, as crianças ganham mesada e guardam o dinheiro em cofrinhos: tanto para aprenderem a economizar quanto saberem escolher com o que gastar. E, em geral, elas investem em coisas maiores e mais caras, como viagens, sonham com Ipad, etc…
E quando viajamos, damos um dinheirinho na moeda local na mão delas, assim elas se esforçam e entendem rapidamente o valor das coisas no país. A cada vez que querem uma lembrancinha, elas calculam, comparam…

 

8. Haja paciência
Saber esperar é uma virtude. E isso também pode ser ensinado durante as viagens. Como diz a reportagem da Crescer “seja na fila de um brinquedo…, esperando um show ou em um engarrafamento…a criança precisa saber esperar. Assim como o respeito às regras, como não encostar nas obras de arte de um museu ou permanecer sentado e com cinto de segurança no avião“.
E eu acrescento que quanto mais cedo as crianças são acostumadas à essas rotinas de viagens, melhor o resultado. Tudo lhes parece mais natural e é incorporado.

 

9. História ao vivo
“Qual a melhor maneira de aprender sobre uma cidade, um povo, uma tradição? Conhecer ao vivo” (revista Crescer).
Cada viagem tem o seu encanto, mas algumas são efetivamente mais culturais e instrutivas que outras, como a Amazônia, por exemplo, onde as crianças conheceram índios verdadeiros e comunidades ribeirinhas. A viagem ao Peru e Machu Picchu também é muito especial por todo o lado histórico: as crianças aprenderam muito sobre os Incas, arquitetura e engenharia. Obviamente que não dá para aprender tudo in loco. E sou fã de livros infantis por causa disso. Mas ter a oportunidade de poder ver ao vivo coisas que aprendemos nos livros é um privilégio. E sempre mais marcante. Portanto, sim: comece e não pare nunca de viajar em família!

 

Leia também: 
O que eu acho de viajar com os meus filhos? 
Os 10 mandamentos para quem viaja com crianças
Você sabe que tem um pequeno viajante em casa quando…
Dicas para economizar em viagens com crianças

Também estamos por aqui:

FACEBOOK TWITTER | INSTAGRAM | GRUPO VIAGENS EM FAMÍLIA

Sut-Mie Guibert, Family Travel Blogger, Blogueira especializada em Viagens com crianças e em família. Francesa, formada em Comunicação e Mídias Digitais e mãe de duas meninas de 11 e 8 anos, ama levar as crianças para conhecer o mundo! E também adora falar sobre o assunto com outras famílias viajantes, sempre muito bem-vindas por aqui!

2 comentários para este artigo

  1. Kyria disse:

    Adorei a matéria!!! Beijos nas pimpolhas !

Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios