Ficou fácil viajar com crianças!

Sea World anuncia o projeto Blue World: novo habitat para as Orcas e investimento de US$ 10 milhões em pesquisas e conservação

Acabei de receber uma notícia sobre o Sea World que eu achei muito interessante e venho compartilhar com os nossos leitores: o SeaWorld Entertainment Inc acaba de anunciar seus planos para a construção de um novíssimo ambiente para as orcas dos parques (repare que desta forma, não se fala mais em shows), além do financiamento de novos projetos de pesquisa e conservação do oceano e das baleias na natureza. Essas iniciativas têm como objetivo fortalecer o legado do SeaWorld como uma empresa que oferece habitats modernos e inovadores para seus animais e que proporciona aos visitantes e às futuras gerações encontros únicos com as baleias. Como parte de sua preocupação com o futuro, a companhia também se comprometeu em investir 10 milhões de dólares em pesquisas sobre as orcas e está ingressando em uma parceria multimilionária para a conservação dos oceanos, que é a principal preocupação para a sobrevivência de todas as espécies marinhas.

Há 50 anos o SeaWorld transforma a maneira como o mundo vê a vida marinha. O contato com os mamíferos marinhos que os nossos parques oferecem, nos proporciona novos conhecimentos sobre os oceanos e inspira gerações“, afirma Jim Atchison, CEO e presidente o SeaWorld Entertainment, Inc. “O novo lar das nossas baleias e as iniciativas em pesquisa têm um mesmo objetivo: gerar avanços para o entendimento global sobre esses animais, educar e inspirar novos esforços em conservação para proteger as baleias na natureza“.

Transformação das novas instalações

O primeiro dos novos habitats será construído no SeaWorld San Diego e terá um volume total de 38 milhões de litros de água – quase o dobro do atual. Com uma profundidade de 16 metros, superfície com área de seis mil metros quadrados e medindo mais 106 metros de comprimento, a nova instalação também proporcionará uma visão de mais de 12 metros de altura, tornando-se a maior área para observação subaquática de orcas do mundo.

SEA_Underwater ViewNomeado como Projeto “Blue World” (Mundo Azul) devido ao seu tamanho e alcance, o novo ambiente permitirá uma maior interação com os especialistas do SeaWorld por meio de novas experiências enriquecedoras e outros programas colaborativos. Essa nova instalação aumentará o aprendizado dos visitantes, promoverá um conhecimento mais profundo sobre as baleias e seu ambiente no oceano e os inspirará a celebrar e conservar a natureza.

Por meio de encontros próximos e pessoais, o novo habitat transformará a experiência dos visitantes com as orcas“, disse Atchison. “Nossos visitantes poderão caminhar ao lado das baleias como se estivessem na costa do mar, vê-las interagir como nas profundezas do oceano ou ter uma visão panorâmica desde a superfície“.

SEA_Beach ViewExpandindo o legado de design de ambientes do SeaWorld, as novas instalações proporcionarão às baleias experiências ainda mais dinâmicas. O novo habitat incentivará a grande variedade de comportamentos das orcas e oferecerá escolhas que as desafiarão física e mentalmente. Entre outras ações, está prevista a construção de uma “corrente de águas rápidas”, que fará com que elas nadem contra o fluxo da água, o que ajuda a desenvolver a agilidade e variedade de seus movimentos. O investimento na área de reprodução e cuidados animais permitirá aos profissionais do SeaWorld e aos cientistas independentes um acesso único às orcas, gerando um melhor entendimento e cuidado tanto com os animais do parque quanto com os que estão na natureza.

Espera-se que as novas instalações de San Diego sejam abertas ao público em 2018, seguindo para o SeaWorld Orlando e SeaWorld San Antonio.

Pesquisa sobre as orcas

Como parte do projeto Blue World, o SeaWorld comprometeu 10 milhões de dólares em recursos financeiros voltados para as ameaças às baleias que estão na natureza, especialmente as que forem identificadas pela Administração Nacional de Atmosfera e Oceano (National Oceanic and Atmospheric Administration) como relacionadas à população Residente do Sul (Southern Resident Killer Whale) – ameaçada de extinção. Isso engloba novos projetos já financiados nesse ano: um que ajudará a compreender o alcance da audição das baleias e outro que fornecerá informações sobre a nutrição e reprodução das Orcas Residentes do Sul. Esse investimento será feito adicionalmente às pesquisas conduzidas pelos cientistas do SeaWorld, que inclui aproximadamente 50 estudos em andamento.

*Informações da Assessoria de Imprensa.

 
==> Eu conheço a polêmica que envolve o Sea World, principalmente após o documentário Blackfish e a queda das ações em Wall Street mas sempre gostei desse parque (só conhecemos o de Orlando): além de divertido, sempre confiei em seu trabalho de pesquisa e resgate e acredito que os parques tem um papel importante no despertar da educação marinha e ambiental para as crianças. A parte dos shows com animais sempre me incomodou, apesar de serem esteticamente bonitos. Pessoalmente, eu sonhava com um parque menos circense e cada vez mais voltado para o meio ambiente e gostei muito desse novo projeto que, aparentemente, tomou exatamente esse rumo!
Aos que dirão que as baleias continuarão confinadas, lembrem-se de que as orcas atuais não podem ser devolvidas ao mar.
Acredito que com projetos como esse, o Sea World tem todo o potencial de sair do papel de vilão e se posicionar cada vez mais como defensor e educador da vida marinha. Seria uma boa saída.

Vale à pena ver o Blue World Project

Também estamos por aqui:

FACEBOOK TWITTER | INSTAGRAM | GRUPO VIAGENS EM FAMÍLIA

3606 Visualizações

Sut-Mie Guibert, Family Travel Blogger, Blogueira especializada em Viagens em Família e com crianças. Jornalista e mãe de duas meninas de 10 e 6 anos, adora levar as crianças para conhecer o mundo! Mas também gosta de escutar e falar sobre o assunto com outras famílias, que são sempre bem-vindas por aqui!

4 comentários para este artigo

  1. Karen disse:

    Adorei saber. Tomara mesmo que tome esse rumo. Amo o parque.

  2. Nunca fui ao SeaWorld e depois de já ter nadado com baleias e golfinhos na natureza algas vezes e depois de assistir a documentários como Black Fish e o the Cove é que não tenho vontade alguma de contribuir com essa indústria…. Acho que zoológicos, jardins botânicos e aquários tem sim um papel muito importante na educação ambiental e conservação de algumas espécies.. Agora convenhamos que por maior que o tanque seja, com ou sem corrente.. Baleias e mesmo golfinhos não são animais para ficarem em piscinas.. Esses animais viajam milhares de Km todos os anos e confinar eles a um espaço medíocre é muita crueldade… Se o SeaWorld realmente estivesse preocupado com o bem estar dos animais como quer vender a imagem que está, já deveria ter feito estas melhorias muito antes de seu lucro/visitação cair em mais de 30%… Acho que estes documentários forçam um pouco a barra, mas recomendo que todo mundo assista e tire suas proprias conclusões, de preferência vendo estes animais em seu hábitat natural 😉

Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios