Ficou fácil viajar com crianças!

Tailândia com crianças: dicas da Luiza (1 ano), do Pedro (6 anos) e dos seus pais.

Hoje é um grande dia! Lançamento do livro que a Pati Papp escreveu sobre e para nós, pais viajantes: Crianças a Bordo – como viajar com seus filhos sem enlouquecer.

Tive o privilégio de receber o livro com dedicatória diretamente em minha casa, e posso dizer que ele está recheado de dicas preciosas! Como não estou em Curitiba e não posso abraçá-la e agradecer pessoalmente, vou aproveitar este dia para postar uma viagem que ela gentilmente me contou. E que viagem! A Pati é descolada em viagens e o casal simplesmente decidiu levar os filhos para passar o Ano Novo na Tailândia! Sim, Tailândia! Olha que delícia! Aqui vamos então!

A família ficou 20 dias, fez o circuito Bangkok/ Phi Phi/ Chiang Mai/ Sukhotai/Bangkok e adorou:

Em Bangkok:

Conhecer o Aquário Sea Life Bangkok, no shopping: os shoppings em geral ofereceram uma boa parada já que são bem modernos, com ar condicionado e muitos com atrações infantis, como este aquário, que visitaram no primeiro dia e novamente no final da viagem para deixar as crianças relaxarem e brincar nos diversos brinquedos existentes na área infantil.

Visitar o Gran Palace, absolutamente indescritível. Só fiquem atentos, pois o Templo é enorme, por isso não esqueçam dos carrinhos das crianças! E outro detalhe, porém não menos importante: cuidado com suas vestimentas no dia da visita, pois não é permitido entrar de bermuda e regata, como foi o caso da Pati, que teve que alugar roupas para poder fazer a visita.

Visitar o mercado flutuante Damnoen Saduak: um mercado onde tudo (muitas frutas, lembrancinhas, jóias,…) é vendido geralmente por mulheres em barquinhos de madeira. Uma emoção! É como se fosse um grande congestionamento de carros, só que de barcos! Fora a profusão de cores e cheiros! (ver o nosso post sobre o assunto).

Outras atrações infantis em Bangkok que a família não chegou a conhecer desta vez: os parques aquáticos, a fazenda de elefantes, já que iam ver outras fazendas no Norte e os parques temáticos na cidade e nas redondezas: aqui

Eles adoraram o $$$ Hotel Heritage: um hotel bem moderno com uma piscina no teto para tomar um banho refrescante no final do dia, relaxar e ver a linda vista para a cidade! As crianças adoraram!

Para comer, gostaram de conhecer o tradicional Restaurante Blue Elephant, que tem filiais por toda a Ásia e até na Europa e outros restaurantes mais simples, já que a cidade é cheia de opções!

Aqui, gostaram menos:

Bangkok é uma cidade enorme, do tamanho de São Paulo, e tem muito trânsito. Uma das únicas roubadas que passaram na viagem foi pegar um congestionamento na hora da fome das crianças! Chegaram a ficar uma hora parados! O ideal aqui é usar o transporte público (o trem de superfície, o skytrain, não pega trânsito e circula pela região central). Outras opções foram os tuk-tuks, que as crianças adoraram, diga-se de passagem, os barcos-táxis e o metrô. Melhor mesmo evitar os táxis normais.

Os templos na capital também são maiores e bem mais cheios, dificultando às vezes a circulação com crianças!

Em seguida, pegaram um vôo interno para Phuket e de lá, um ferry (bem lotado de pessoas e malas!) para as Ilhas Phi Phi, famosas por terem servido de cenário para o filme A Praia com Leonardo di Caprio! Referências cinematográficas à parte, Phi Phi, segundo Pati, “era tudo o que se falava e muito mais”!

Eles ficaram absolutamente maravilhados com a paisagem, a cor da água, e o excelente hotel no qual ficaram: o $$$ Phi Phi The Beach Hotel, com pequenos bangalôs pendurados na colina e todos com vista para o mar.

O programa aqui foi relaxar na praia de areia branca e fofa, na beira do mar, da piscina, fazer snorkel e ver muitos peixes coloridos, além de comer Seafood Barbecue, churrasco de frutos do mar!

Aqui vale lembrar trazer brinquedinhos para a praia e fraldas de mergulho para bebês.

Não percam a oportunidade de fazer passeios de barco para conhecer outras ilhas em volta: o barqueiro faz várias paradas em alto mar para mergulhar e ver mais peixes.

Fazendo graça com a Mamãe

De lá, pegaram um vôo com troca de avião em Bangkok para Chiang Mai, a antiga capital, no Norte do país.

Aqui, eles adoraram:

Passear na parte murada da cidade e se perder nos templos: os monges são muito receptivos com as crianças e elas podem andar livremente pelos templos. Mas de novo, ficar atento à regra aprendida em Bangkok, os adultos devem ter sempre os braços, ombros e cabeça cobertos.

As fazendas de elefantes: apesar de ser um programa “turístico”, é imperdível e segundo a Pati, “para o Pedro, este foi um dos momentos mais marcantes da viagem”! Os elefantes fazem acrobacias, pintam e depois é possível subir neles para fazer um longo passeio bem bacana.

As fazendas de tigre: nestas as crianças chegam a perder o ar. Quem quiser ir só para ver, não precisa pagar nada, somente se quiser entrar na jaula. E obviamente, as crianças só podem entrar na jaula dos tigres filhotes, por questões de segurança. Mas para eles, isso já é uma ENORME emoção! Pedro ainda ficou muito impressionado, pois o adestrador contou-lhe que o tigre consegue sentir o coração dos humanos e assim saber quem está com medo.

Ver as curiosas mulheres pescoçudas ou mulheres girafas: o local de origem desta tribo é a Birmânia. No entanto alguns locais turísticos recriam as aldeias das mulheres pescoçudas: mulheres que continuam uma prática ancestral de colocar vários colares sucessivamente alongando assim, o pescoço. Dizem que não é o pescoço que alonga, e sim, os ombros que descem e inicialmente, isso seria feito para se proteger de eventuais mordidas de tigres. O efeito realmente resulta em um pescoço comprido. “É um pouco artificial, mas eu recomendo, já que ir para Myamar é bem complicado”. Efetivamente, essa prática hoje, é mantida unicamente para o turismo.

No caminho entre Chiang Mai e Bangkok, existe a encantadora e imperdível Sukhotai, antiga capital do Reino de Sião e Patrimônio Mundial da UNESCO. Como ela não é acessível de trem, o mais prático é pegar uma van desde Bangkok.

As ruínas e os vestígios, com Boudhas gigantes no meio da vegetação são impressionantes, e já que o lugar é bem extenso, a melhor maneira de conhecer isso tudo é alugando bicicletas. O Pedro ficou feliz e até para a Luiza havia uma cadeirinha na bicicleta do pai!

Um dia de passeio inesquecível!

À noite, aproveitaram para experimentar finalmente a famosa massagem tailandesa, que ao contrário do que se imagina, é hard-core no puxa-estica, mas com resultado maravilhoso!

E de lá, finalmente voltaram para Bangkok, onde terminaram de fazer algumas visitas já citadas acima.

Segundo a Pati, estar com a família toda reunida na Tailândia, com os avós, os tios, formando ao todo um grupo de 9 pessoas, “foi uma das experiências mais legais da minha vida”.

Algumas observações sobre a viagem:

  • Em Bangkok há um 7/11 por esquina: nestas lojinhas de conveniência tem comidas, bebidas, lanchinhos, guloseimas e artigos como fraldas, leite, cereais, etc. O único porém, é que grande parte das embalagens está escrito em tailandês, sem tradução. É possível “adivinhar” alguns ingredientes pelos desenhos (as etapas 1, 2, 3 nos alimentos da Nestlé com os ursinhos azuis por exemplo são os mesmos!)
  • Grande parte do hotéis tem piscina, berços para bebês (que não são cobrados). Os quartos nunca são muito pequenos, então acomodam bem famílias com mais de 1 filho. Os restaurante, de modo geral, tem cadeirinha para crianças.
  • Na região central e pontos turísticos, a maioria das pessoas fala inglês, embora o sotaque seja bem forte.
  • Adultos e crianças maiores de 1 ano devem tomar a vacina contra a febre amarela!

E se vocês ainda têm alguma dúvida sobre o quanto essa viagem é legal, a Pati resume:

Por que ir para Tailândia é tão legal?

• Os tailandeses são alegres e amistosos, adoram crianças e se esforçam para tratar bem os turistas.

• Os preços da comida e dos hotéis são muito bons para os brasileiros. Um hotel de US$ 100 em Bangkok equivale a um hotel de US$ 600 em NY.

• A comida é maravilhosa, pelas ruas há diversas barracas de frutas frescas cortadas e sucos na hora. Há muitas opções de pratos sem pimenta que agradam facilmente o paladar infantil. Meus filhos amaram o fried rice with chicken (arroz com frango) que podia ser servido também com camarão. Além disto, não é difícil encontrar restaurantes italianos e grandes redes de fast food.

• Os templos são lindos e inspiradores.

• Bangkok é moderna e fácil de ser transitada (seja por metrô, barco ou taxi)

• Chiang Mai, a antiga capital, é indescritível.

• Phi Phi é uma ilha com mar azul, água quente e praia semi desertas.

• E ainda há os elefantes, os tigres, passeios nos rios e mergulhos!

• O tempo é bom o ano inteiro. Há pouquíssima variação de temperatura. As épocas das monções (chuvas) devem ser evitadas.

• E finalmente, as massagens tailandesas são maravilhosas!

Para ver mais fotos desta viagem, deem uma olhada em seu blog: Eu viajo com meus filhos.

 

Viagem feita em Dezembro/ Janeiro de 2010: bastante calor, abafado.

Crianças à bordo pode ser encontrado nas Livraria Argumento. Sucesso Pati!

 

Leia também:
Turismo na Tailândia (em português): aqui
No Blog Viagem e Gastronomia: Tailândia para crianças

Também estamos por aqui:
FACEBOOK TWITTER | INSTAGRAM | GRUPO VIAGENS EM FAMÍLIA

7876 Visualizações

Sut-Mie Guibert, Family Travel Blogger, Blogueira especializada em Viagens em Família, com crianças e bebês. Jornalista e mãe de duas meninas de 5 e 2 anos, adora levar as crianças para conhecer o mundo! Mas também gosta de escutar e falar sobre o assunto com outras famílias, que são sempre bem-vindas por aqui!

26 comentários para este artigo

  1. Orangotango disse:

    Ai que delícia de viagem! Não vejo a hora da minha para o Vietnã rolar…
    Valeu a dica do livro. Vou comprar com certeza!
    Adorei mais esta viagem!
    bj e parabéns!

  2. Halini disse:

    Oi Sut-Mie!
    Super legal seu post!
    Estive no lancamento do livro da Pati hoje! Foi muito legal!
    Muitas criancas, muitos pais cheios de perguntas e muita gente saindo de la super motivada a cair na estrada com a turminha!
    Bjo grande!

    Ps. Seu blog esta cada vez melhor!

  3. Clarissa disse:

    Oi, Sut!

    Adorei o post! Os dois últimos. aliás! Muito bons!
    Só que acho que agora vc teria que levar a Clara para fazer um test-drive das dicas. Claro que seria uma viagem puramente profissional, nada mais que isso! hehhe
    Bjos,
    Cla

  4. Carol P disse:

    Adorei o post. Ja fiz esta viajem e nao teria coragem de levar a minha filha Phi Phi hehehe. Mas adorei saber que tem gente que faz. Em Phuket fora do circuito noite, que nem fomos, a maioria dos resorts sao super familia, com criancas por todas as partes. Bj

  5. patipapp disse:

    Oi Sut Mie!

    Que surpresa legal esta “homenagem”!!!

    Obrigada! Adorei o texto final! Adorei a forma, as fotos tudo!

    Fiz um videozinho da viagem e acho que está muito divertido e ilustra bem a viagem! Acabou de ficar pronto, da uma olhada!

    beijos!
    Pati

  6. Carol Garcia disse:

    viajei…
    aqui….
    sentada na frente do micro.
    parabéns pelo post!
    bjocas
    carol
    http://viajandonamaternidade.blogspot.com

  7. Ahhhhh ,adorei..p variar viajei aqui um poquinho…que delicia conhecer um lugar completamente diferente do nosso, com tantos costumes e cores ,e sabores!
    Deve ser msm inesquecivel!!! O livro deve ser um barato, to doida p ler..sera que aqui na cidade eu acho?? ;-(
    bjaaao,otima semana p/ vc e p Clarinha,ta??

  8. Mto, mto legal essa viagem! Nunca imaginei fazer uma dessas com criança mas adorei a explicação do porque ir! Minha cara essa viagem! E pior, deu uma vontade danada de conhecer tb.
    Bjs,
    Eliane
    1001roteirinhos

  9. piscardeolhos disse:

    eu, com filho doente, em casa, de chinelo furado e pijama do pato donalds, olhando essas fotos lindas, é até crueldade.
    ai, ai (murmura ela, esperançosa…)

  10. Oi Sut,
    Que viagem fantástica essa da Pati, hein? Ela é descolada mesmo.
    Eu vou comprar o livro dela aqui no Rio.
    Falando em Rio, adorei a sua postagem sobre o Rio e já comentei lá. Vais sair uma foto das minhas filhas na revista Kids in Rio desse mês. A revista e o site são muito bons mesmo.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

  11. Meninaaa…vc ja esteve aqui? ou vem??juraaaa..seria otimo..vou começar uma campanha a favor da vinda de vcs para minha cidade,hehee..
    bjss!!!

  12. Cintia disse:

    Viagem inspiradora. Adorei as dicas. Parabéns!

  13. Excelente POST! Bem elucidativo e sincero! Parabens! 😉

  14. Priscilla disse:

    Olá! Estou adorando as dicas da Tailândia, e incorporando muitas ao meu roteiro. Uma pergunta como vcs fizeram para ir a Sukhotai,de Bangkok? Quanto tempo levaram?
    Muito obrigada, Priscilla

  15. Laira disse:

    Adorei o post e as dicas!
    Estou incorporando várias no meu roteiro. Fiquei morrendo de vontade de incluir Sukhotai no roteiro depois de ler esse post!
    Abraços,
    Laira

  16. Juliana disse:

    Estou planejando de ir à Tailandia no final do ano, com meu filho, ele estará com 1 ano e 4 meses.
    Seriam 18 dias, você acha que valeu a pena, todos aproveitaram? Pois pensamos em ir somente eu e meu esposo, porém achamos que tanto nós, quanto nosso filho, vamos ficar com muita saudade. Obrigada

    • Sut-Mie Guibert disse:

      Olá Juliana,
      Eu sou muito suspeita para falar, porque entre viajar e ficar com saudades ou levar a criança, opto sempre mil vezes por viajar em família! 🙂
      Obviamente, não é o mesmo tipo de viagem, obviamente pode ser um pouco mais cansativo, obviamente alguns roteiros, programas devem ser adaptados…mas a nova vida com crianças é assim mesmo! E viagens fazem parte disso. 🙂
      Fui com a minha filha com 1 ano e meio e, de forma prática: leve potinhos, se ele já comer, pelo menos para os primeiros dias. Leve a sua lata de leite em pó e algumas fraldas. Tem isso tudo lá (principalmente em Bangkok), mas é para vc poder ficar tranquila pelo menos nos primeiros dias. Cuidado com a comida, porque é bem apimentada. Experimente sempre, mesmo quando eles dizem que é “no spicy” 🙂
      Nos Shoppings em Bangkok, você tem muitas opções de restaurantes.
      Leve tb carrinho ou carregador, estilo Ergo Baby.
      Um abraço

  17. aline disse:

    olá estou indo em janeiro para chiang mai com minha familia e tenho uma filha de 1 ano e meio gostaria de saber qual fazenda de elefantes vc indica para ir com crianças pequenas?
    att

  18. Denise disse:

    Olá!!! Adorei o post!!! Vou no final do ano com minhas duas filhas – uma de 4 anos e outra de 2!!! Como foi encarar o jet-leg das crianças??? Isso é o que está mais me preocupando… alguma dica??
    beijos e parabens pelo blog!
    🙂

    • Sut-Mie Guibert disse:

      Olá Denise,
      Chegamos lá de dia então foi mais fácil, porque as crianças quiseram cair na piscina, o que as manteve acordadas. Tente seguir os horários do lugar (comer, dormir…). Elas acordaram de madrugada nas 2 primeiras noites, mas nós nos esforçamos para manter tudo bem escuro e fazê-las acordarem mais tarde. As crianças entram no ritmo mais rapidamente que os adultos, você vai ver! Elas se recuperam melhor! 🙂
      Boa viagem

  19. Natalia disse:

    Oi! Tô lendo bastante seu blog porque vou pra Tailândia mês que vem com minha filha de 4 anos.
    Queria saber como você fez com seu filho de 6 anos em relação ao carrinho. Minha filha pesa 25kg, é muito difícil achar um carrinho que comporte esse peso. Você levou do Brasil ou comprou lá? Vc viu carrinhos à venda pela Tailândia? Acha qUE consigo encontrar um que aguente o peso dela por um preço bom?

    • Sut-Mie Guibert disse:

      Olá Natalia,
      Na verdade, não vi muitos carrinhos por lá, porque eles carregam bastante as crianças com sling…Mas claro que tem carrinhos para vender, mas não olhei os preços, já que levamos o nosso carrinho guarda-chuva mesmo, para a criança de 1,5 anos. As outras já caminhavam. Em Bangkok, pode dar uma olhada no Shopping Siam Paragon, o maior da cidade.
      Uma marca boa para crianças maiores é o Baby Jogger City Mini, que vemos muito nos parques de Orlando.
      Um abraço, boa viagem,

Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios