Ficou fácil viajar com crianças!

Egito com crianças e bebês

Convidado Especial – Rafael Castilho, Blog Turismo com Independência

Viajar para outro país com um bebê ou uma criança menor de 2 anos pode, para muitos, parecer impraticável pelo trabalho redobrado que se tem, mas não é um bicho de sete cabeças como pintam muitos. Quando planejamos uma viagem muitos detalhes devem ser aprofundados e observados: voos, escalas, tempo de aeroporto, hotel, cultura, visto, dinheiro, logística, infraestrutura, atrações, etc. Já quando viajamos com bebês estes itens são os mesmos, mas com algumas atenções a mais. Agora pense em viajar para um país muçulmano de onde somente notícias negativas aparecem em nossas TVs. Isto pode assustar alguns, mas garanto que a sua viagem para o Egito será inesquecível para toda a família. Viajamos com uma criança de quase 2 anos, o pequeno Pedro. Abaixo seguem os detalhes que podem facilitar a sua ida ao norte africano para um roteiro repleto de descobertas milenares:

 

Voo
Não há voos diretos do Brasil para o Egito. Você pode escolher voar via Europa, Oriente Médio e África. Escolhemos viajar pela Ethiopian Airlines que tinha um ótimo custo benefício e voo mais curto, além de uma escala rápida na capital Adis Abeba. O trajeto São Paulo – Adis é realizado nos modernos 787, com banheiros equipados com trocadores e mais silencioso que outras aeronaves. Pedidos de comida especial para bebê devem ser feitos com antecedência (recebemos um potinho Nestlé, iogurte e fruta). Além disso, as crianças recebem uma mochilinha com revista para pintar, lápis de cera e joguinhos. Perfeito, é sempre muito bom quando encontramos companhias “kids friendly. Já o voo entre Adis – Cairo foi num 737, mais apertado, mas também com trocador. O Pedro dormiu boa parte dos voos, já que saída de São Paulo é realizada no início da madrugada e o bebê está bem cansado, assim capota…

Escala/aeroportos
A escala em Adis Abeba foi curta, cerca de 1h30. Dá para esticar as pernas e andar um pouco, apesar do aeroporto não oferecer muito conforto. Veja o relato no meu blog. Os banheiros não são equipados com trocadores. Aqui a fralda deve ser trocada nos bancos do terminal, assim como nos aeroportos de Aswan e Luxor.

Cultura
O Egito é um país árabe e de maioria muçulmana. Com uma história milenar, já foi dominado por diferentes povos e culturas. A população é bem receptiva e adora brincar com as crianças. O Pedro curtiu se divertir com os locais e, acredite, ganhou muitos souvenirs dos vendedores. Confesso que também acharam uma boa forma de cativar os pais, compradores.

Visto
Os brasileiros precisam de visto que pode ser emitido no aeroporto do Cairo ao custo de US$ 25, apesar do Consulado do Egito no Rio de Janeiro dar outra informação. Veja o relato no meu blog.

Vacinação
O Consulado do Egito no Rio de Janeiro nos informou que a vacina da febre amarela era obrigatória. O nosso bebê tomou e fez a carteirinha internacional. Também levamos a nossa. Mas ao chegar no Egito ninguém questionou ou exigiu a carteira. Independente disso, se vocês são viajantes, é sempre bom ter a carteira internacional (e agora vitalícia), porque outros países exigem.

Logística
Normalmente adoramos visitar os países por conta própria, com carro alugado, transporte público ou a pé. Mas no Egito achamos melhor fechar uma excursão privada, guia em espanhol e motorista. Tudo organizado pelo hotel do Cairo com ótimo preço (pagamos US$285/pessoa incluindo os passeios, guia e até o cruzeiro no Nilo)! Isto facilita muito. O motorista deixa a gente próximo das atrações evitando o sol forte.
Se prepare que o trânsito do Cairo é bem complicado. O povo de lá não gosta de semáforos e os carros ficam travados nos cruzamentos.
reserve o translado do aeroporto com o seu hotel, para evitar a abordagem frenética de taxistas e demais pessoas. Assim seu bebê estará seguro.

Infraestrutura
O Egito não é o Japão. Na verdade, nenhum país é igual ao Japão. Em breve, contarei essa outra viagem fantástica que fizemos!

Não há banheiros públicos, somente em algumas atrações turísticas. Não há trocadores, somente encontramos no shopping e no aeroporto do Cairo. Você terá que improvisar para trocar uma fralda.
Há pequenas vendas ou supermercados por toda a cidade. É fácil encontrar frutas iguais as do Brasil: banana, pera, maçã, manga, etc. Nos mercados há todas as marcas internacionais, assim facilita na hora de comprar leite, fraldas, papinha, etc.
As calçadas são esburacadas como as daqui. Muitas vezes, o carrinho tem que prosseguir pela rua. Já nos templos o chão é de areia ou pedregulho, é melhor ter um carregador para o bebê porque a rodinha do carrinho insiste em não girar…

Roteiro e Atrações

Foram 9 dias no total:
3 dias inteiros na capital Cairo, onde visitamos Giza, Memphis e Sakkara. Dia seguinte fomos conhecer Alexandria, distante a 2h15 de carro (225Km) e no terceiro dia, visitamos atrações da capital, como o Egyptian Museum, a Torre do Cairo e a parte islâmica do Cairo “The Citadel”.

O bebê não paga para entrar em nenhuma atração turística. Não há proibições para a entrada de menores, nem nos museus. Nos locais visitados somente a Biblioteca de Alexandria proibiu a entrada da criança.

Em todos os lugares, as crianças adoram ver os hieróglifos, principalmente o de animais.

No Museu do Cairo, o Pedro amou as múmias e os sarcófagos. Outra pedida com criança é a Torre do Cairo, além da bela vista, a criança adora descobrir novas aventuras.


Na capital também estivemos no Mall of Arabia, onde há playground para as crianças, meu filho se divertiu. Há muitos outros shoppings na cidade. Mas imperdível mesmo é o passeio de camelos nas pirâmides, os pequenos piram…

– Do Cairo, seguimos de avião noturno para Aswan (somente 1h15 de voo) e logo pela manhã, embarcamos em um cruzeiro de 3 dias pelo Rio Nilo. O cruzeiro foi fantástico. Há várias categorias: o nosso navio não era de Luxo; o “Emilio” é um navio de tamanho médio mas bem confortável com cabine grande, piscina e com todas as refeições incluídas (buffet com comida internacional). Lembrando que pagamos US$285/pessoa (o cruzeiro + os passeios no Cairo + guia espanhol), o que é bem barato se compararmos com os preços no Brasil!
Ele vem “subindo” o Nilo de Aswan rumo a Luxor e você pode ver várias maravilhas da arqueologia egípcia: o Templo de Philae, Kom Ombo, Horus Temple em Edfu, Esna, West Bank (o Vale dos Reis), East Bank (Karnak e Templos em Luxor).

Se a criança for muito pequena, não indico levá-la para o Templo de Abu Simbel, pois a viagem começa às 3h30 da madrugada em Aswan e são três horas de estrada até o monumento! Mas se as crianças forem maiores, se joguem, pois trata-se de uma das maiores maravilhas da antiguidade que você encontrará no Egito. São dois grandes templos escavados na rocha por ordem do faraó Ramsés II no século XIII a.C.  Para mais dicas sobre Aswan, veja no meu blog.

Nos passeios, cuidado com os vendedores que tentam ser espertos com os turistas. Anunciam no grito o preço de determinado produto para atrair o cliente. Na hora da compra desconversa sobre a oferta. Também caia fora das excursões batizadas com as famosas paradas em lojas de artesanato e fragrâncias, tudo o olho da cara.

=> Todas as atrações cobram ingressos. Cheque o preço nas bilheterias ou em sites de turismo antes de sair para excursão, pois muitos guias tentam cobrar a mais pelo ingresso tabelado.

– Na chegada, passamos 1 dia e 1 noite em Luxor.

De Luxor, fomos para a Grécia (Atenas) via Cairo pela Egypt Air. Uma dobradinha bem cultural e histórica: Egito + Grécia! Mas se você quiser ficar pelo Egito mesmo, outra opção que nós quase fizemos foi ir para Hurghada, uma cidade balneária a 300Km de Luxor: veja as fotos no Google, tem praias com água cristalina e excelente hotéis com preços baratos!

Hotéis
Há dezenas de opções de hotéis no Cairo, Luxor e Aswan (Assuã), cidades pelas quais passamos. Alguns com preços bem salgados. Escolhemos o Galaxy Royal Suites, no Cairo, com ótimo custo benefício e, o melhor, quarto super amplo para o Pedro poder brincar. Desde que começamos a viajar com criança sempre buscamos, quando possível, apartamentos amplos ou aluguéis de temporada como AirBnb. Fica aqui esta dica, pois espaço e cozinha são primordiais para facilitar a sua estadia com bebê no exterior. Já em Luxor e Aswan a escolha foi pelos Villa Kaslan Apartments, com acesso à cozinha e piscina super refrescante, e Ekadolli Nubian, ambos com bastante espaço, preços baixos, ar condicionado e frigobar. Outras boas opções em Aswan eram o Philae Hotel e o Kato Dool Nubian House, mas estavam sem disponibilidade nas nossas datas.

Também vale o relato sobre o clima
Estivemos no Egito no verão. Muito quente…: 35 a 40 graus! Roupas leves, muita água, frutas, boné, protetor e sombrinha são imprescindíveis para proteger o seu filho.

 

Apesar de algumas dificuldades, o Egito é um país receptivo e seguro para viajar com o seu bebê. O calor será seu pior inimigo durante os passeios. Mas é só estar preparado e bem hidratado. Viaje com tranquilidade e com bom planejamento, assim tudo dará certo. E também não esqueça do seguro de viagem! Ao contrário do que muitos dirão, eu recomendo o Egito. Foi uma viagem muito cultural e interessante!

 

Leia também:
Atenas (Grécia) com crianças
Santorini (Grécia) com crianças
Mykonos (Grécia) com crianças
Dubai com crianças
Abu Dhabi com crianças
Marrakech (Marrocos) com crianças

E sobre o Egito, não deixe de ler os posts do Blog Dondeando por aí. A Clarissa Donda foi sozinha, mas tem muitos posts fantásticos e detalhados sobre o destino.

 

Também estamos por aqui:
FACEBOOK TWITTER | INSTAGRAM | GRUPO VIAGENS EM FAMÍLIA

263 Visualizações

Sut-Mie Guibert, Family Travel Blogger, Blogueira especializada em Viagens em Família e com crianças. Jornalista e mãe de duas meninas de 10 e 6 anos, adora levar as crianças para conhecer o mundo! Mas também gosta de escutar e falar sobre o assunto com outras famílias, que são sempre bem-vindas por aqui!

1 comentário para este artigo

  1. Diogo Avila disse:

    Excelente relato.
    Tô namorando este destino desde 2011, mas as confusões locais sempre nos afastam.
    Somos bem acostumados a viajar com o nosso pequeno que já foi 2x para a Ásia com o nosso pequeno e alguns outros destinos mais diferentes.
    Seu relato recolocou o Egito na minha lista de prioridades.
    Abraço.

Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios